quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Não jogue seu voto no lixo!

Tantos lutaram no passado para que você hoje pudesse ter o seu direito de voto. Porém há eleitores que votam em um determinado candidato por ele apresentar uma campanha engraçada. Jogando no ralo um direito muito importante. Venho aqui suplicar para você não fazer isso, vote em alguém que você julgue preparado. Não vai ser o fato de a pessoa ser famosa ou engraçada que a tornará apta para o cargo, pelo contrário, a falta de argumentos políticos leva ao uso de campanhas apelativas. Pensem bem na hora de votar, esse é um dos fatores que te torna um cidadão.

Coloquei esse vídeo apenas para ilustrar:

sábado, 21 de agosto de 2010

Política, eleições e blá blá blá



Neste ano de eleições, fico me perguntando sobre diversos aspectos que acabam nos surpreendendo. O primeiro deles é a bendita da ética. Já se sabe que atitudes de bom moço e política não combinam, a não ser que o político queira aparecer. Mas nesta eleição em particular o discurso dos candidatos me deixou muito confuso. Antes de entrar no assunto propriamente dito, quero deixar claro que não vou citar nomes nem mencionar os candidatos que irei votar. O direito de voto secreto é um direito no qual não abrirei mão.
O povo brasileiro não tem memória, estou falando da grande maioria. Isto implica em uma facilidade por parte dos políticos de mudarem de idéia com uma rapidez e com um radicalismo medonho.  Como raramente eu esqueço o passado de alguns candidatos, essas indecisões ideológicas por parte deles me deixam louco. Digo isso pelo seguinte motivo, não estou conseguindo definir um candidato com segurança. Não está dando para eu traçar um perfil para os candidatos.
O discurso extremamente pobre de alguns deles me incomodam. Argumentos vazios fazem parte da ladainha sacal no horário político e sem contar a falsidade por parte das alianças. Nestas eleições não vou votar em um candidato, a maioria deles não me convence, vou optar em votar em um partido. Vamos cumprir nosso dever como cidadão e vamos ver se os escolhidos cumprirão os deveres deles.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Religião

Hoje, como sempre, perguntaram para mim qual era a minha religião. Essa pergunta sempre me deixa sem jeito. Sei que as pessoas são muito chatas em relação a isso, por esse motivo não gosto de falar sobre esse assunto. Antes que me perguntem, eu não sou ateu. Mas digo que sou, sempre que a maldita pergunta aparece. Podem falar que isso é uma desonestidade, para mim é uma defesa. Não estou aqui para ficar explicando a forma na qual acredito em Deus, da mesma forma que como você acredita nele não me interessa.
Eu não estou dizendo que você não deva fazer essa pergunta, estou apenas mostrando a minha postura em relação a ela. Não acho que isso se deva pelo fato de eu ser uma pessoa intransigente, o que realmente não sou. É que quando eu falo que sou ateu as pessoas cortam o assunto e passam para outro. Não fica aquela coisa extremamente chata da pessoa tentar te convencer de que a forma em que ela acredita é melhor e é o padrão,o que geralmente acontece quando te fazem essa indagação.
Eu realmente não gosto de falar sobre religiões e ponto, a não ser que eu conheça bem a pessoa e saiba que ela vai me respeitar assim como eu vou respeitá-la. O ponto onde eu quero chegar com isso tudo é que se você adora sua religião, adore sozinho ou em seu respectivo templo. Não tente convencer os outros, a não ser que estes queiram. Aproveite que você mora em um país que te garante a liberdade de crença, mas lembre-se que o outro tem os mesmos direitos que você.

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Ídolos

Algumas vezes me pego pensando sobre os ídolos, podem ser os meus ou os seus, depende da situação. Aqui especificamente vou falar dos meus. Fiz um apanhado das músicas, livros e ideologias que me influenciam, e percebi que a maior parte dos meus ídolos morreram.
Por isso decidi pesquisar coisas novas, de preferência relevantes. Não quero ser um cara que só lê e ouve gente morta. E admito que fiquei muito decepcionado com o que vi. Não que não haja gente compondo, escrevendo e tocando coisas novas, mas essas pessoas simplesmente não têm o seu merecido espaço no coração do público consumidor de arte brasileiro.
Vou aqui me utilizar do cenário musical de rock nacional como exemplo. Se qualquer um for a um evento “underground” no Rio, verá diversas bandas com letras e melodias excelentes. Muitas até criando algo novo dentro do possível, digo em relação a estilo, mas não os vemos na boca do povo.
Muitos vão virar e falar que isso é culpa da mídia, mas eu não concordo. A mídia divulga o que é consumido. Então, pelo amor de Deus, variem suas opções. Idolatrem cadáveres, mas também idolatrem os vivos, eles precisam de vocês para se tornarem novos ídolos. Não falo isso para vocês ficarem dando crédito para aquele cantor que terá 15 minutos de fama, e não vai deixar nada de construtivo na história da música. Digo isso para vocês conhecerem e promoverem algo construtivo.
Parem de escutar apenas aquelas bandinhas que parecem tocar as mesmas músicas, e que as letras não falam nada. Aposente aquele CD do Elvis (exemplo) por enquanto, aliás, você já deve conhecer as músicas de seus ídolos falecidos de cor. Ajudem a reviver o cenário do rock nacional, porque o negócio tá brabo. Não vão faltar opções e coisas novas para descobrir no mundo underground. Isso vale para literatura e outros estilos musicais também. Siga agora a sua viajem para um mundo oculto da cultura, muito boa por sinal, e seja feliz.

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Bem-vindos

Sejam bem-vindos ao meu blog, de acordo com a nova ortografia bem-vindo se escreve assim. Quero neste espaço abordar minhas opiniões sobre diversos assuntos, e também incluir nelas vários pontos de vista. Não espere de mim uma argumentação vazia, vou sempre estar justificando da forma mais sólida possível a minha maneira de pensar. Enfim espero que gostem dos meus textos e me ajudem sempre a melhorar, indicando temas e mostrando o ponto de vista de vocês. Então venham comigo nessa viajem ao labirinto sem fim de opiniões e questionamento.