quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Ídolos

Algumas vezes me pego pensando sobre os ídolos, podem ser os meus ou os seus, depende da situação. Aqui especificamente vou falar dos meus. Fiz um apanhado das músicas, livros e ideologias que me influenciam, e percebi que a maior parte dos meus ídolos morreram.
Por isso decidi pesquisar coisas novas, de preferência relevantes. Não quero ser um cara que só lê e ouve gente morta. E admito que fiquei muito decepcionado com o que vi. Não que não haja gente compondo, escrevendo e tocando coisas novas, mas essas pessoas simplesmente não têm o seu merecido espaço no coração do público consumidor de arte brasileiro.
Vou aqui me utilizar do cenário musical de rock nacional como exemplo. Se qualquer um for a um evento “underground” no Rio, verá diversas bandas com letras e melodias excelentes. Muitas até criando algo novo dentro do possível, digo em relação a estilo, mas não os vemos na boca do povo.
Muitos vão virar e falar que isso é culpa da mídia, mas eu não concordo. A mídia divulga o que é consumido. Então, pelo amor de Deus, variem suas opções. Idolatrem cadáveres, mas também idolatrem os vivos, eles precisam de vocês para se tornarem novos ídolos. Não falo isso para vocês ficarem dando crédito para aquele cantor que terá 15 minutos de fama, e não vai deixar nada de construtivo na história da música. Digo isso para vocês conhecerem e promoverem algo construtivo.
Parem de escutar apenas aquelas bandinhas que parecem tocar as mesmas músicas, e que as letras não falam nada. Aposente aquele CD do Elvis (exemplo) por enquanto, aliás, você já deve conhecer as músicas de seus ídolos falecidos de cor. Ajudem a reviver o cenário do rock nacional, porque o negócio tá brabo. Não vão faltar opções e coisas novas para descobrir no mundo underground. Isso vale para literatura e outros estilos musicais também. Siga agora a sua viajem para um mundo oculto da cultura, muito boa por sinal, e seja feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário